28 de Maio de 2018
Jovens

A subsecretária Gambino: “Os educadores tenham a coragem de dizer a verdade”

A intervenção realizada em seminário na Pontifícia Universidade Lateranense

Precisamos de educadores que tenham a coragem da verdade e saibam como acompanhar os jovens em seu discernimento pessoal e vocacional. Outro aspecto fundamental é a necessidade de fazer com que os jovens descubram a razoabilidade da fé e sua beleza. O discurso sobre a verdade está intimamente ligado ao da beleza”.

A subsecretária Gabriella Gambino disse isso falando há alguns dias no seminário sobre o tema “Anunciando aos jovens a glória da cruz: um evangelho ainda possível?”, Promovido pela cátedra Gloria Crucis, da Pontifícia Universidade Lateranense.

A pastoral da juventude - continuou - não pode ser adequadamente desenvolvida se não for feita para convergir com a pastoral familiar, isto é, de uma perspectiva transversal. Em primeiro lugar, os jovens estão relacionados com as suas famílias, que continuam a ser os primeiros responsáveis pela sua educação e formação”.

Finalmente, a subsecretária ressaltou que “a Igreja deve ser auto-compreensiva como um ‘ventre generativo’ das novas gerações, como uma Mãe dedicada a uma vocação missionária, que consiste não apenas em semear a presença de Cristo, mas em cuidar no tempo dos filhos que se abrem à fé, com paciência e dedicação. Assumindo, isto é, até o fim as próprias responsabilidades com um compromisso que saiba desenvolver projetos pastorais de longo prazo, que a nível local - concluiu - pode acompanhar os filhos nos vários estágios da infância e da juventude em um caminho de crescimento gradual até a idade adulta”.