16 de Fevereiro de 2018
Atividades do Dicastério

Recomeçar a partir da piedade popular

Os bispos da Bielorrússia em Visita ad Limina

Os bispos da Bielorrússia estiveram em uma Visita ad Limina ao Dicastério e compartilharam o testemunho de uma Igreja que se reergue lentamente depois de ter sido inclinada por 70 anos de totalitarismo. O fato de que a Igreja bielorrussa esteja em pleno renascimento, os números são claros: basta pensar que, em 1991, data da desintegração da União Soviética e, portanto, do nascimento do estado da Bielorrússia, havia apenas 110 paróquias católicas e 60 sacerdotes em todo país. Hoje, a Igreja da Bielorrússia é composta por uma arquidiocese e três dioceses sufragâneas, para um número total de mais de 500 paróquias e muitos sacerdotes.

Continua sendo uma comunidade minoritária no país (apenas 14%), mas está viva e dinâmica. Prova disso é o grande florescimento dos movimentos leigos locais e associações que surgiram nos últimos 20 anos. Os bispos relataram a situação das famílias em seu país onde, infelizmente, a cada dois matrimônios, um termina em divórcio, porcentagens que tocam 70% entre os jovens casais. Sobre o tema da vida, os bispos não se limitaram a se referir ao número alarmante de crianças que nunca nasceram por causa do aborto generalizado. Para fomentar a esperança, eles ilustram o trabalho que a Igreja Católica, em coordenação com outras confissões religiosas, se esforçam para combater a cultura desenfreada da morte. Por exemplo, ser capaz de criar um espaço, mesmo que pequeno, para uma presença discreta das consultórios familiares em algumas clínicas da Bielorrússia - onde, - até a 22ª semana de gravidez, cada mulher pode pedir e obter legalmente uma interrupção da gravidez - significa para muitas mulheres a oportunidade de tomar a decisão de acolher a vida de seus filhos.

Os bispos asseguraram a participação de algumas de suas famílias no próximo Encontro Mundial das Famílias em Dublim 2018, bem como uma representação de seus jovens na JMJ no Panamá.