08 de Março de 2018
Associações e Movimentos

Um “sonho” que se renova

Em Castelgandolfo “A grande atração do tempo moderno”, O primeiro dos eventos dedicados a Chiara Lubich no décimo aniversário de sua morte

Alguns dias atrás, o padre Alexandre Awi Mello, secretário do Dicastério, participou do Centro Mariápolis de Castelgandolfo no evento “A grande atração do tempo moderno”, por ocasião do décimo aniversário da morte de Chiara Lubich, fundadora do Movimento dos Focolares.

Cerca de 2000 pessoas participaram do programa que destacou-se a influência de seu pensamento e sua ação social: fortes testemunhos de experiências de vida evangélica - nascidas do lema “Morrer por seu povo” - Eles animaram o dia alternando com momentos artísticos. Entre os protagonistas, um professor nos distritos difíceis de Paris, um artista do Brasil, uma micro cooperativa de peixe na Itália, a vida em uma cidadela na Costa do Marfim durante a guerra, “Com as mãos abertas - Bungas Palad” nas Filipinas e uma família na Síria.

O evangelho é a resposta a todos os problemas, como afirmou a presidente do movimento, Maria Voce: “Chiara disse que Maria Mãe de Deus é a forma e modelo da ação social do movimento”.

O co-presidente Jesus Moran destacou os aspectos proféticos das palavras e da vida de Lubich, enquanto o secretário de Estado, Pietro Parolin, enfatizou a confiança com que Chiara confiou à Igreja, esperando que “se cumprissem os tempos do Espírito” para que “O seu carisma pudesse se tornar um dom não só para o movimento, mas para toda a comunidade eclesial”.