30 de Janeiro de 2020
Idosos

Focus sulla famiglia

A segunda sessão do Primeiro Congresso Internacional "A riqueza dos anos"

"A combinação idosos e família é fundamental para entender o fenômeno do envelhecimento de uma população cada vez mais numerosa, desde que fique claro que, quando se fala de família, nos referimos às gerações que a compõem, e não apenas à família com a qual convivemos". Donatella Bramanti, da Universidade Católica do Sagrado Coração, abriu assim o novo dia de trabalho para o Congresso "A riqueza dos anos" no Augustinianum. A sessão da manhã focou o tema "A família e os idosos": "Os idosos - disse Bramanti - hoje constituem um recurso importante tanto dentro das famílias quanto na sociedade como um todo, desde que consigam viver a transição de uma maneira positiva, junto com as pessoas ao seu redor. Para isso - explicou - é importante observar de perto como as famílias percebem essa fase, como estão se aproximando progressivamente, quais são os sinais de alerta (se são legíveis) dessa nova condição. De fato, é apenas se você sentir o desconforto como um novo desafio para uma nova mudança - concluiu - que pode aproximar um período de busca por um novo equilíbrio".

Certamente que "a convivência entre diferentes idades não pode ser improvisada", disse Maria Voce, presidente do Movimento dos Focolares: "É - explicou - um caminho de abertura ao diálogo que também deve fascinar adultos de uma nova maneira, como uma educação permanente. Baseia-se na compreensão, que é uma luz porque dá sentido à vida e abre novos horizontes”. Em tudo isso, segundo o presidente Voce, "o chamado do Papa para superar a indiferença e a olhar com estima - os jovens em relação aos idosos e vice-versa -, além de preconceitos e clichês, dá opinião e indica um sinal real dos tempos". Por fim, Maria Voce delineou alguns "caminhos a percorrer" na ótica do diálogo entre as gerações: "Sair de preconceitos e estereótipos, enfrentar o desafio de esquemas indefinidos, promover um compartilhamento dinâmico e viver a reciprocidade".

Monique Bodhuin, presidente da "Vie Montante Internationale", enfatizou como os idosos são "testemunhas, guardiões e depositários das raízes da fé entre as gerações mais jovens e a sociedade em geral. Ao mesmo tempo, eles são os destinatários da atenção pastoral da Igreja, que deve assumir o compromisso de convertê-los e ajudá-los com amor, a fim de tirá-los das periferias existenciais de sua existência. "Finalmente, o presidente concentrou-se na evangelização", um caminho para fazer juntos, em nome do relacionamento e encontro".

Catherine Wiley, presidente da Associação dos Avós Católicos, falou sobre a necessidade de "incentivar a oração dentro de nossas famílias" durante a mesa redonda da manhã: "Isso os ajudará a encontrar maneiras de nutrir respeito e amor mútuos e uma abertura para receber os dons de sua sabedoria e experiência de nossos anciãos. Hoje, a tecnologia, embora às vezes intrusiva, pode ser o elo crucial se as famílias foram separadas pela distância".

Giovanni Paolo Ramonda, Responsável geral da Associação Papa João XXIII, disse que "as leis da família deveriam ser feitas para os idosos e crianças. Um povo é tal se não deixar o mais fraco para trás ou pior ainda o acompanhar a uma morte prematura voluntária. Uma sociedade é totalmente humana se cuida dos fracos, dos doentes, dos sofrimentos e canaliza os recursos para essas famílias que têm internamente doentes e idosos que às vezes são até terminais. O escândalo de privilégios e dos desperdícios - continuou - deve ser cancelado em favor desta parte da sociedade, a fim de estar do lado daqueles que não conseguem lidar sozinhos". Ramonda esperava que todo idoso “pudesse passar a velhice em casa e com a família, incentivando os cuidados domiciliares, o apoio econômico e educacional; se não for possível, desenvolver a guarda da família para fazer com que o idoso se torne o avô, recuperando um papel e a possibilidade de amar e se sentir amado. Os idosos - concluiu ele - são nossas raízes, guardiões da memória, da história, o elo de conjugação do ciclo vital".

 

 

 

International Elderly Congress - Second day