Jornada Mundial da Juventude

Para muitos, a JMJ é a mais bela invenção do Papa João Paulo II. Ele, por sua vez, afirma: “São os próprios jovens que inventaram a Jornada Mundial da Juventude”. Vamos ver como começou esta aventura maravilhosa. Em 1983-1984 era celebrando o Ano Santo da Redenção: 1950 anos da Paixão de Jesus. Entre as várias atividades do Ano jubilar, João Paulo II quis estabelecer um encontro de jovens para o Domingo de Ramos. A comissão organizadora previu 60.000 participantes. Chegaram a 250.000. Em 1985, as Nações Unidas proclamaram o Ano Internacional da Juventude. O Papa, que desejou expressar a atenção especial da Igreja para com as novas gerações, convocou novamente os jovens a Roma para o Domingo de Ramos. A resposta foi surpreendente: 300.000 jovens espalhados nas igrejas da cidade para vários momentos de oração e de catequese. Em seguida, reuniram-se na Praça de São Pedro para participar da celebração com o Santo Padre.

Após essas duas reuniões, muitos perguntavam: por que essa resposta generosa? O que procuram os jovens, o que eles desejam? João Paulo II havia já intuído: os jovens sentiam o desejo de se unirem para compartilhar suas experiências, para ouvir uma palavra de fé, para olharem juntos para o futuro, para renovar e confirmar seu compromisso. Assim, no final de 1985, ele anunciou a instituição da Jornada Mundial da Juventude, que será celebrada a cada ano nas dioceses. O Papa indicou também uma data para a celebração: o Domingo de Ramos. Por que? «Tal resposta é dada por todos vocês, que há anos peregrinais a Roma para celebrar este dia […]. Com este fato, talvez não quereis vós mesmos significar que procurais Cristo no centro do seu mistério? Vós o buscais na plenitude daquela verdade que é ele mesmo na história do homem», explicou aos jovens o mesmo João Paulo II (Homilia, 27 de março de 1988, Missa no Domingo de Ramos, III Jornada Mundial da Juventude).

Intercalada com a celebração diocesana foi-se realizando um grande encontro mundial, inicialmente a cada dois anos. Após a primeira Jornada Mundial da Juventude, celebrada nas dioceses em 1986, aconteceu a primeira grande edição internacional, que teve lugar em 1987, em Buenos Aires, Argentina, dando um sinal muito forte em um país que emergia da ditadura.