02 de Julho de 2021
X Encontro Mundial das Famílias

Um evento amplamente difundido e multicêntrico. Mensagem de vídeo do Papa pelo X Encontro Mundial das Famílias

Com a mensagem de vídeo, a apresentação do logo oficial

 

Foi o Papa Francisco em pessoa que apresentou o X Encontro Mundial das Famílias, que acontecerá de 22 a 26 de junho de 2022, por meio de uma mensagem de vídeo divulgada hoje e disponível no Vatican News e no canal Youtube da Diocese de Roma. Foi também revelado o logo do evento, promovido pelo Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, e organizado pela diocese de Roma. O vídeo de animação do logo é disponivel no canal Youtube da diocese de Roma.

O encontro, inicialmente previsto para 2021, será realizado de 22 a 26 de junho de 2022, num tempo de esperança e renascimento. O evento, como afirmou o Santo Padre, acontecerá de forma inédita e multicêntrica, com iniciativas globais nas dioceses do mundo inteiro, análogas às que, ao mesmo tempo, se farão em Roma. Apesar de Roma sediar o evento, cada diocese pode tornar-se o centro de um Encontro local para as suas famílias e comunidades. Tudo isso com o intuito de permitir a todos de sentir-se protagonistas, num momento em que ainda é difícil viajar por conta da pandemia.

O Amor na família: vocação e caminho da santidade é o tema do X Encontro mundial, que será realizado em duas modalidades paralelas:

1.      Roma continua a ser a sede principal, e nessa cidade vão acontecer o Festival das Famílias e o Congresso teológico-pastoral, ambos na Sala Paulo VI, e a Santa Missa na Praça São Pedro. Participarão, em particular, os delegados das Conferências episcopais e dos movimentos internacionais engajados nas pastorais familiares.

2.      Ao mesmo tempo, em cada diocese, os bispos podem mobilizar-se em nível local para programar iniciativas similares, a partir do tema do encontro com uso de símbolos que a diocese de Roma já começou a preparar (logotipo, oração, hino e imagem).

 

“Ao longo dos anos – comenta o cardeal Kevin Farrell, Prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida – este importante encontro eclesial tem recebido uma participação sempre crescente das famílias. Os milhares de pessoas que participaram das edições mais recentes, com a riqueza da sua língua, cultura e experiência, foram um sinal eloquente da beleza da família para a Igreja e para a humanidade inteira. Devemos continuar por esse caminho, procurando envolver um ainda mais famílias nesta belíssima iniciativa”.

“Trata-se de aproveitar uma oportunidade preciosa e única para relançar a pastoral familiar com fervor missionário e criatividade renovados, a partir das indicações que foram dadas pelo Santo Padre na exortação Amoris Laetitia, ou seja, com a participação dos esposos, das famílias e dos pastores, todos juntos”, comenta o cardeal-vigário Angelo De Donatis. 

 

____________________________________________

 

Descrição do logotipo oficial

multimedia

 

O logo pensado para o X Encontro Mundial das Famílias retoma a forma elíptica da colunata de Bernini, na Praça São Pedro, lugar indicativo por excelência da Igreja católica, e envia-o ao seu significado original, que é o abraço acolhedor da Igreja-Mãe de Roma e do seu bispo, abraço que inclui e envolve todos os homens e mulheres de todos os tempos.

As figuras humanas que estão debaixo da cúpula e da cruz que a coroa representam marido, mulher, filhos, avós e netos. Esta imagem evoca a ideia da Igreja como “família de famílias”, proposta por Amoris Laetitia (AL 87) em que “o amor vivido nas famílias é uma força permanente para a vida da Igreja” (AL 88). A cruz de Cristo, delineada no alto, e os muros de proteção parecem ser erguidos pelas famílias, tais autênticas pedras vivas da construção eclesial. Do lado esquerdo, em cima da fina linha da colunata, percebe-se a presença de uma família que se encontra na mesma posição das estátuas dos santos que encimam as colunas da praça. Estes recordam-nos que a vocação à santidade é uma meta possível para todos. Indicam, assim, que é possível viver a santidade na simplicidade da vida quotidiana.

A família à esquerda, que aparece por detrás da linha da colunata, representa também as famílias não católicas, distantes da fé e da Igreja, que observam de fora o evento eclesial que acontece dentro. A comunidade eclesial sempre teve uma grande atenção para eles. Além disso, percebe-se um dinamismo das figuras em movimento para a direita. Vão para fora. São famílias em saída, testemunhas de uma Igreja que não é autorreferencial. Vão à procura de outras famílias, para tentar aproximar-se delas e partilhar com elas a experiência da misericórdia de Deus.

As cores dominantes, amarelo e vermelho, são uma clara referência ao brasão de Roma, um traço gráfico que visa exprimir uma intensa ligação com a comunidade.