07 de Junho de 2017
Movimentos eclesiais

Nas pegadas de Cristo

O cardeal Farrell na entrevista ao “Amigos da Peregrinação”, explica o significado da Marcha de Loreto

A marcha Macerata-Loreto é “um movimento coral e desafiante que pode ser uma representação visual do desafio” lançado pelo Papa Francisco “deixar o recinto, alcançando subúrbios geográficas e ainda mais existencial, receber e recolher todos aqueles que encontramos na estrada, para expandir o nosso espaço, não para fechá-los”. Então, declarou na entrevista publicada na última edição do Boletim dos “Amigos da peregrinação” o cardeal. Kevin Joseph Farrell, prefeito do Dicastério para os leigos, família e vida, que presidirá a celebração eucarística que iniciará a 39ª peregrinação a pé em Macerata-Loreto em 10 de junho de 2017.

"Eu vivo a minha primeira experiência com emoção e consciência. Nós todos sabemos - continuou ele - que o por-se a caminho pertence à natureza humana. A tecnologia fez-nos perder a experiência de percorrer a pé inclusive longos trechos de estrada, uma metáfora do mistério que move a inteligência e a vontade do homem, para alcançar uma meta. Mas nossa jornada não é um vagar, mas um discipulado, um caminho que segue os passos de Cristo, porque Ele é a nossa vida e nossa meta. Desejo que cada jovem encontre o significado de estar a caminho num ato humilde e digno de seguir Jesus apoiado pela confiança de sua companhia. É o outro nome da fé. Inclusive a palavra 'peregrino' (per-egrinus) - acrescentou – é muito significativa, pois indica a pessoa que atravessa os campos e as fronteiras. Peregrino é quem percorre o território para fora da cidade, o estranho, o diferente, que vem de longe e vai para outro lugar. Os peregrinos podem se perder e necessita de orientações e hospitalidade é a condição de tantos, também a nossa".Explicando como a experiência de uma peregrinação a pé, à noite, pode concretamente ajudar os jovens a enfrentar os desafios da vida cotidiana, O cardeal Farrell disse: “O longo caminho, as horas da noite, a fadiga e o desânimo; o recuperar a confiança uns com os outros, sabendo que teremos sucesso, que estamos na expectativa ... a vida é assim, uma caminhada sem parar, sempre em movimento; não importa quanto tempo, importa fazê-lo até o fim, fazendo algo de bom e de justo, ir adiante com amizade e alegria pela boa nova do Evangelho que nos atinge, e que se alarga”.