27 de Fevereiro de 2018
Movimentos e associações

Autênticas escolas de virtude

O estudo conduzido pelo funcionário Milligan do Dicastério sobre “Approaches to Authority and Obedience in the International Ecclesial Movements and New Communities”

Os movimentos eclesiais e as novas comunidades contribuem para a vida da Igreja como autênticas escolas de virtude: útil para aprender a autoridade como serviço e para aspirar à obediência como uma coisa saudável e justa”.

Esta é a conclusão do estudo realizado por Philip Milligan, funcionário do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, intitulado “Approaches to Authority and Obedience in the International Ecclesial Movements and New Communities”.

O estudo - lemos no resumo - identifica três situações paradigmáticas de autonomia na Igreja, em relação às quais é possível medir autoridade e obediência e, posteriormente, aplicar esses paradigmas à prática de autoridade e de obediência dentro de oito movimentos eclesiais internacionais. Esta amostra é bastante suficiente para justificar a aplicação do mesmo método aos movimentos eclesiais em geral”.