24 de Agosto de 2018
Dublim: Francesco Belletti

Associações promovem o Evangelho da Família

A família é o primeiro e mais poderoso remédio contra uma das piores “doenças” do homem contemporâneo, mas, se permanecer sozinha e fechada, gera ainda mais solidão

Ex-presidente do Fórum Italiano de Associações Familiares (47 associações, 18 fóruns regionais por sua vez compostos por 564 associações, estima-se que um total de quatro milhões de famílias estejam envolvidas para um total de 12 milhões de pessoas), prof. Francesco Belletti interveio no painel sobre “Promover o Evangelho da Família: Qual o papel das Associações Familiares hoje”, indo imediatamente ao cerne da questão: “A família é o primeiro e mais poderoso remédio contra uma das piores” doenças “do homem contemporâneo, solidão”. As famílias associadas geram um bem comum, agregando valor ao capital social de uma comunidade “especialmente em sua construção como sujeito agregativo, em associações e redes que se tornam interlocutoras para os demais atores sociais e para a comunidade eclesial”. Um recurso social formidável, “As famílias associadas podem se tornar sujeitos sociais coletivos, que começam a ter uma voz, que se unem para” produzir mais família "(serviços, relacionamentos, experiências de compartilhamento e autoajuda), mas também para contar mais, organizar, pressionar, protestar". Uma tarefa indispensável e um desafio pastoral para ajudar cada família a encontrar “companheiros de viagem”: “uma perspectiva recente de desenvolvimento é o surgimento de novas formas de conexão entre famílias, menores, mais diretamente relacionadas a um território específico, com relações “corte” e "quente", sempre fortemente entrelaçada com as necessidades concretas da vida cotidiana".

Se a qualidade relacional parece contar mais que o reconhecimento social, pergunta o prof. Belletti: "como ligar a grande maioria das famílias, que permanecem sem conexões com o exterior?". Uma primeira resposta encontra-se nas palavras de Amoris laetitia (184): "com o testemunho, e também com a palavra, as famílias falam de Jesus aos outros, transmitem a fé, despertam o desejo de Deus e mostram a beleza do Evangelho e do estilo de vida que nos propõe".