28 de Novembro de 2018
Leigos santos

Toniolo e La Pira, “profetas” ao serviço do bem comum

Nos últimos dias, o Papa Francisco dedicou palavras de grande estima a dois fiéis leigos que – com suas vidas e com seu compromisso – deixaram sua marca na recente história da Itália: o venerável Giorgio La Pira e o beato Giuseppe Toniolo.

Quanto a Toniolo, por ocasião da conferência dedicada a ele por ocasião do centenário de sua morte na sede da Universidade Católica de Milão, na carta do papa assinado pelo secretário de Estado, Pietro Parolin, enviado ao arcebispo de Milão, Mario Delpini, afirma que ele era “pai e esposo exemplar, professor de economia e modelo de santidade leiga”.

O que foi cultivado por Toniolo, lê-se em seguida na carta, era “o ideal de uma sociedade verdadeiramente democrática, na qual a estrela polar era o bem comum a ser alcançado na convergência de todas as forças sociais, em benefício dos mais pobres”. Uma democracia que, para ser assim, mesmo em abertura a todos e com a colaboração de todos, aos olhos do beato Giuseppe Toniolo, nunca poderia ter sido adequadamente realizada, sem recorrer à vitalidade dos valores evangélicos.

Sobre La Pira, Francisco falou para duzentos membros da Fundação do mesmo nome e participantes da quinta convenção nacional de associações e grupos intitulados para o político siciliano que foi prefeito de Florença e é venerável desde 5 de julho deste ano.

Giorgio La Pira, o papa disse em seu discurso, ele era “uma testemunha entusiasta do Evangelho e um profeta dos tempos modernos” cuja ação, sempre inspirada por “uma perspectiva cristã”, “estava frequentemente à frente de seu tempo”. Além disso, seu exemplo de servo do “bem comum” é precioso para os políticos de hoje, tentado pela busca de “lucro pessoal exclusivo ou um grupo em vez do interesse de todos” ou pelo “excessivo apego ao poder” que “esbarra de fato na mudança geracional”.

Finalmente, o Papa enfatizou que um momento tão complexo “da vida política italiana e internacional” requer e precisa dos “fiéis leigos e dos estadistas de grande importância humana e cristã para o serviço do bem comum”.