30 de Setembro de 2018
Movimentos eclesiais

Um tesouro de experiências

A contribuição dos movimentos eclesiais ao Sínodo sobre os jovens

Em 19 de junho passado, foi realizada no Palazzo San Calisto o habitual Encontro anual com os moderadores gerais de associações leigas, movimentos eclesiais e novas comunidades, durante a qual as aproximadamente 50 realidades eclesiais convocadas refletiram sobre o tema do próximo Sínodo dos Bispos: “Juventude, fé e discernimento vocacional”.

Os representantes dos diversos movimentos, associações e comunidades foram convidados a apresentar de maneira concisa as iniciativas apostólicas dirigidas aos jovens, ou empreendidas pelos próprios jovens, nas duas áreas do anúncio da fé e da vocação, que foram implementadas com sucesso no interno do próprio grupo eclesial. Foi, portanto, uma questão de apresentar, não projetos teóricos ou ideias para o futuro, mas o que já foi feito ou está sendo feito e que se mostrou eficaz no campo da pastoral juvenil.

De fato, os movimentos eclesiais têm sido muito presentes e ativos no mundo da juventude nas últimas décadas, representando um verdadeiro campo de experimentação, inovação e criatividade missionária na proclamação da fé e da proposta vocacional dirigida aos jovens. Este tesouro de experiências é um bem espiritual que deve ser compartilhado com toda a Igreja e que agora, na véspera da assembleia sinodal, pensando que possa ser de interesse para muitos, nós fornecemos os relatórios que os participantes da reunião nos enviaram junto ao relatório do cardeal Farrell e do padre Alexandre Awi Mello, que apresentaram o trabalho nessa mesma reunião.

Queremos dar voz aos movimentos eclesiais e enriquecer a reflexão sinodal, na certeza de que os carismas inspirados pelo Espírito Santo, que estão na origem dos movimentos eclesiais e de suas obras apostólicas, trazem fecundidade e vigor renovado a toda a Igreja.