18 de Junho de 2021
Orientamenti GMG

As JMJ diocesanas – entre memória histórica e novo impulso

Um feedback fortemente positivo das Orientações pastorais
OrientamentiGMG_NewsRiflessioni.jpeg

 

Um mês depois da publicação das Orientações pastorais para a celebração da JMJ nas Igrejas particulares, respostas muito positivas da parte das dioceses do mundo inteiro apontem dois fatores importantes que, vividos juntos, transformam a Jornada da juventude num momento forte da vida das Igrejas locais. Por um lado, esta celebração reúne várias intuições e práticas presentes há anos na pastoral da juventude e no acompanhamento dos jovens no caminho da fé. Por isso, alguns responsáveis da pastoral da juventude apreciaram o fato de que as Orientações fazem referência às raízes da JMJ e põem em destaque os pontos principais descobertos e elaborados ao longo dos mais de trinta e cinco anos de história da Jornada.

“Este documento encoraja-nos a continuar com as JMJ nacionais e diocesanas que já realizamos há alguns anos, em concomitância com a preparação para as JMJ internacionais”, diz o responsável da pastoral da juventude de Madagascar, o Pe. Jean-Luc Ratovonjanahary.

“As orientações confirmam muitas das nossas intuições e práticas pastorais”, acrescenta a responsável canadense, Isabel Correa.

Por outro lado, foi acolhido com grande entusiasmo o convite a uma atualização constante desta proposta pastoral, de modo que caminhasse em sintonia com os desafios do mundo jovem e com a vida atual da Igreja.

“As Orientações são muito práticos, como uma continuação da Christus Vivit, para começar ou continuar a pôr em prática a sua mensagem e mantê-la viva!”, confirma Jennnifer Cauchi, de Malta.

“Fiquei muito tocado com a ênfase na experiência da fraternidade universal e com o encorajamento a encontrar os jovens não-catolicos. É uma grande oportunidade para revitalizar as relações ecumênicas e interreligiosas”, diz o Pe. Jean-Sebastien Laurenta, da Comunidade Chemin Neuf.

O nosso Dicastério organizou, no último dia 8 de junho, um encontro com os responsáveis da pastoral da juventude nas conferências episcopais, movimentos e associações; nele, em união com os encontros nacionais já organizados em alguns países – inclusive a leitura do documento em algumas dioceses e paróquias – as Orientações começam a dar fruto: inspirações concretas para a pastoral da juventude local.

 “O documento nos ajudou a redefinir o sentido da celebração da JMJ em nível diocesano. Graças a este documento, podemos motivar ainda mais sacerdotes e educadores a acompanhar os jovens. Já distribuímos a tradução tcheca aos padres, catequistas e organizações juvenis”, acrescenta o Pe. Kamil Strak, responsável pela pastoral da juventude da Tchéquia.

“Acolhemos de bom grado a oportunidade que este documento nos abre: rever a organização das nossas JMJ, identificar as áreas a modificar, e reforçar o modo como as nossas JMJ são instrumentos de evangelização dos jovens e de diálogo com eles”, dizem os responsáveis da pastoral da juventude das Filipinas, Pe. Conegundo Garganta e Maria Victoria Tacderas.

“Queria chamar a atenção para o convite que o documento nos faz a caminhar juntos na pastoral da juventude. A JMJ nos impele e encoraja a continuar o nosso serviço pastoral e nos leva a zelar pelo discernimento vocacional. O documento insiste no protagonismo dos jovens, na contribuição que damos à nossa Igreja local por meio da JMJ e na acolhida que devemos dar aos outros jovens que estão fora das estruturas”, resume Joan Barríos, panamenho.

As Orientações pastorais para a celebração das JMJ nas Igrejas particulares, preparadas pelo nosso Dicastério e aprovadas pelo Santo Padre Francisco, estão disponíveis aqui em diversas línguas e formatos.