22 de Junho de 2021
Idosos

Temos de festejar

Coletiva de imprensa de apresentação da Jornada Mundial dos Avós e dos Idosos e da mensagem do Santo Padre

 

“Depois de um ano tão difícil, temos de festejar, todos juntos, avós e netos, jovens e idosos.” Com estas palavras, o cardeal Farrell, prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, abriu a coletiva de imprensa de apresentação da primeira Jornada Mundial dos Avós e dos Idosos, que será celebrada pela primeira vez este ano, no dia 25 de julho.

O Prefeito indicou o carinho como palavra-chave da celebração da Jornada: o carinho para com as pessoas idosas, para quem – como disse o Santo Padre na sua mensagem – o vírus “reservou um tratamento mais duro”, mas também o carinho dos avós para com os seus netos. No mais, num período em que “nos acostumamos a viver sozinhos, a não nos abraçar, a considerar o outro como um perigo à nossa saúde. [...] O carinho pode tornar-se um modo de ser.”

Um dos aspectos mais marcantes da mensagem do Santo Padre é o fato de ele ter-se dirigido de maneira direta e pessoal a cada avô e cada idoso. O cardeal Farrell definiu-o como “afetuoso e exigente”, pois indica aos idosos “uma vocação renovada num momento crucial da história”. “ Na Igreja, com o Papa Francisco, os avós e os idosos ocupam um lugar de honra”.

Vittorio Scelzo, responsável da pastoral da pessoa idosa do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, ilustrou as modalidades com que a Jornada vai ser celebrada. Enquanto em Roma o Santo Padre vai presidir uma missa em São Pedro dia 25 de julho às 10h, o Dicastério convida cada diocese e cada paróquia a celebrar uma das liturgias dominicais aos avós e às pessoas idosas. Vittorio Scelzo convidou, em seguida, a fazer com que o maior número possível de idosos recebe a mensagem do papa através de uma visita. “A Jornada – comentou – vai ser uma ocasião para viver a Igreja em saída. Imaginem que os netos entregandoa mensagem do papa aos avós, e os jovens da paróquia e das comunidades eclesiais saindo ao encontro dos idosos sozinhos do seu bairro, para dizer a cada um deles ‘Eu estou contigo todos os dias’.”

Monique Bodhuin, presidente da associação Vie Montante Internationale, chamou a atenção para a ligação entre a Jornada e o primeiro Congresso Internacional da Pastoral da Pessoa Idosa que o Dicastério organizou em 2020, e afirmou que “esta primeira celebração dos avós e dos idosos é só um ponto de partida, que traz consigo uma dimensão de abertura ao futuro”.

Maria Sofia Soli, senhora de 87 da casa Viva gli Anziani, da Comunidade San’Egidio, explicou que a mensagem do papa é um chamado mesmo para quem já chegou à terceira idade: “Este convite – e digo com muita certeza – exige uma mudança da nossa parte, dos idosos, que geralmente acreditamos, às vezes com muita teimosia, que não podemos mais mudar, que agora somos o que somos, que não somos mais úteis a ninguém”.

A última oradora, Elena Liotta, também da Comunidade Sant’Egidio, deu ênfase ao diálogo intergeracional. “Caminhamos em velocidades opostas – disse Elena – sentimos que estamos no começo, eles parecem estar no fim. Na amizade com os idosos, porém, encontrei um tesouro”.