12 de Setembro de 2017
Nicaragua

Família e vida, valores amplamente compartilhados no país

A visita ad limina dos bispos da Nicarágua

Na manhã de segunda-feira, 11 de setembro, durante a visita "aos túmulos" dos apóstolos, os bispos nicaraguenses foram recebidos no Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida.

Os bispos dos oito capítulos eclesiásticos do país falaram do grande compromisso com a evangelização pelos leigos católicos, especialmente graças aos "delegados da Palavra", ao ministério dos catequistas e aos serviços voluntários aos quais os fiéis cristãos católicos colaboram. Eles ilustram os programas de treinamento dos pastores leigos, mas também falaram sobre suas preocupações sobre o treinamento juvenil para o compromisso social e político inspirado pelo Evangelho.

Os presidentes se referiram ao grande número de jovens envolvidos na pastoral juvenil e em algumas de suas principais atividades, como a Vigília dos Jovens para Pentecostes, que anualmente reúne cerca de 50 mil jovens em todo o país. Nesse sentido, eles compartilharam a gratidão e a esperança com que esses jovens estão se preparando para a Jornada Mundial da Juventude de 2019 no Panamá, como será para eles, juntamente com a Costa Rica, para acolher jovens peregrinos nos dias anteriores aos eventos com o Santo Padre no Panamá.

Em relação à pastoral familiar, os bispos falaram da riqueza expressada pelos movimentos familiares eclesiais e pastoral familiar a nível nacional e diocesano. A família e a vida na Nicarágua são amplamente compartilhadas entre os cidadãos, especialmente entre os católicos, já que a família é a primeira rede de solidariedade e uma importante rede de segurança social. No entanto, como em muitas outras partes do mundo, a família sofre a pressão da pobreza que a separa e a obriga a emigrar, da violência doméstica e dos ventos do relativismo e das ideologias. No concreto, a ideologia do gênero está afetando a legislação, deteriorando a família.

Hoje na Nicarágua, o maior desafio não são os divorciados recasados, mas muitas pessoas que não se casam por várias razões, e não a falta de evangelização. Em relação ao aborto, os bispos disseram que as pessoas nicaraguenses têm uma forte apreciação pelo valor da vida, então, mesmo quando uma menina é confrontada com uma gravidez indesejada, ela não pensa em aborto. Há uma grande quantidade de grupos pró-vida e grande solidariedade com os grupos de outras igrejas cristãs para defender a vida ao nível legislativo.

O cardeal Farrell, ao final do encontro, agradeceu o enorme trabalho realizado e instou-os a não perderem a esperança.