21 de Março de 2018
#Synod2018

Entrevista com jovens de todo o mundo

Papa Francisco: "Não existe a juventude, há jovens com suas histórias, que a Igreja deseja escutar"

"O que você procura em sua vida? Diga, nos fará bem escutar você ". É assim que o Papa Francisco se dirige aos jovens de todo o mundo que participam até sábado no pré-sínodo do Pontifício Colégio Internacional Maria Mater Ecclesiae em Roma.

"Não existe a juventude, há jovens com suasas histórias, que a Igreja deseja escutar", disse Francisco: "Muitas vezes se fala de jovens sem interpela-los. Mesmo a melhor análise sobre o mundo juvenil, embora sendo útil, não substitui a necessidade de um encontro face a face". "Alguém - ele acrescentou - acha que seria mais fácil mantê-lo" a uma distância segura ", para não ser provocado. Mas os jovens hoje nos pedem proximidade. E não é suficiente trocar algumas mensagens de texto ou compartilhar fotos legais. Os jovens devem ser levados a sério! Parece-me que estamos cercados por uma cultura que, por um lado, idolatra a juventude, procurando que ela nunca passe, por outro, exclui tantos jovens de serem protagonistas". "Muitas vezes - o papa tem marcado - vocês são marginalizados da vida pública e se veem implorando ocupações que não lhes garantem o amanhã. Muitas vezes vocês são deixados sozinhos".

Entre os 300 participantes, jovens delegados de todas as conferências episcopais do mundo, seminaristas e noviços, representantes de associações e movimentos, estudantes de escolas e universidades católicas, o mundo da cultura, do voluntariado, da política e do esporte, mas também jovens de outras confissões cristãs e religiões, deficientes ou que tenham experimentado o drama da prisão, do tráfico e da toxicodependência. Entre os temas que surgiram foram as dificuldades de criar uma família, a ferida do divórcio dos pais, a precariedade econômica, a indiferença de uma Igreja da qual tantos se afastaram, a incerteza do futuro, o medo do compromisso, a falta de oportunidades.

Segundo o secretário geral do Sínodo Lorenzo Baldisseri, "os jovens são ao mesmo tempo o sujeito e o tema do caminho sinodal, chamados a colocar-se a escuta dos seus pastores, mas também chamados a falar aos seus pastores, a abrir-lhes o coração, numa circularidade virtuoso que é a própria essência da sinodalidade eclesial". Por esta razão, o cardeal anunciou: "Domingo, no final da Eucaristia, abrindo os ritos da Semana Santa e celebrando a XXXIII Jornada Mundial da Juventude, teremos a alegria e a honra de entregar nas mãos do Papa o Documento resultante da reunião pré-sinodal, a que os jovens confiarão os desejos e esperanças dos seus colegas em todo o mundo, tendo em vista o Sínodo de Outubro".