24 de Agosto de 2018
Encontro Mundial das Famílias

Anderson (Knights of Columbus), “agentes de evangelização” e “instrumentos de paz

As famílias “podem tornar-se não só sujeitos de evangelização, mas sobretudo, agentes de evangelização” e “instrumentos de paz”. Carl Anderson, Supreme Knight of Knights of Columbus (EUA), está convencido disso e esta manhã, no Congresso pastoral em curso no Encontro Mundial das Famílias, que termina no dia 26 de agosto em Dublin, ele apresenta no painel sobre a família como possível agente de paz em um mundo turbulento. “Em Amoris Laetitia e Gaudete et Exsultate – ele começa –, o Papa Francisco sugere que a paz não é simplesmente a ausência de violência ou perturbações, mas algo positivo – é uma bênção a ser obtida, ou como Santo Agostinho diz na Cidade de Deus, uma ‘tranquilidade de ordem’ obtida pela ‘disposição proporcional’ dos membros da sociedade. E este último depende da obediência ‘à lei eterna’, resumida no ‘amor de Deus e do próximo’”. O amor, continua Anderson, é para a família “ponto de partida” e “referência constante” na “conquista da paz, tranquilidade, bem-estar e felicidade autêntica”. O amor da família, acrescenta ele, “pode transformar nossas casas em uma igreja doméstica, onde o Senhor bate à porta” para jantar e ficar. As famílias “vivem na realidade concreta do mundo”, chamadas a “preservar, revelar e comunicar o amor nas dificuldades reais dessa realidade. Através desta experiência, eles podem se tornar não apenas sujeitos de evangelização, mas acima de tudo agentes de evangelização”. Para Anderson “deveria ser ajudados a realizarem a missão da igreja doméstica”. A família, conclui, não deve ser vista “como um ideal inacessível, mas como uma igreja peregrina doméstica que caminha sobre as vias do Senhor irradiando o amor de Deus e seus frutos de paz”.