28 de Setembro de 2018
Dicastério

Das Américas à Ásia e além ... as boas práticas dos leigos católicos

Um dia intenso de escuta e troca de experiências sobre a formação dos Christifideles no mundo

Um dia intenso de trabalho, ontem, no encontro internacional sobre a promoção e formação dos fieis leigos, organizado pelo Dicastério: as "melhores práticas" dos países da América do Norte e América Latina, Ásia, Oceania e Europa foram ilustradas. Uma riqueza de presentes para compartilhar, mas também muito para aprender com os pequenos e com menos recursos. Do Canadá, onde ao lado de várias instituições de ensino a nível nacional, incluindo universidades, há uma grande vivacidade nas Igrejas locais. Nos Estados Unidos, ao lado da catequese tradicional, há a atividade de numerosas associações locais que oferecem formação: leigos para os leigos. No México, uma formação permanente é garantida em assuntos atuais que permitem dar razão da própria fé em diferentes ambientes: acadêmico, político, cultural. Em Cuba, há encontros interdiocesanos de leigos, semanas sociais e oficinas de formação de leigos com ciclos de uma semana por ano durante três anos, bem como semanas de formação de verão. No Peru, uma escola de reconciliação e perdão é organizada em resposta ao terrorismo para moldar novas pessoas. Os leigos estão muito envolvidos nisso.

Nas Filipinas foi estabelecida por tempo LAIKO, o braço operacional da Conferência Episcopal das Filipinas para a coordenação do apostolado dos leigos. Inclui 55 organizações laicais nacionais e 57 conselhos diocesanos. A presença das comunidades eclesiais de base que são guiadas pelos leigos também é forte.

A Austrália destaca-se, no entanto, por um programa específico de formação para jovens mulheres, a “Leadership for mission” e pela “Catholic mission”, que propõe programas para a formação integral da pessoa para torná-los missionários de Jesus Cristo.

Na França, uma formação de dois anos é oferecida em oração, a Palavra de Deus, discernimento e missão para estabelecer uma equipe de animadores e a rede de cursos abertos em formação teológica é usada. Por outro lado, a formação de leigos na Alemanha é organizada em nível diocesano, e a possibilidade também é oferecida neste contexto para seguir os cursos de teologia on-line. Uma boa prática na Itália é o projeto Policoro, voltado para a capacitação de jovens no estudo de questões sociais para, então, estabelecer cooperativas, empresas e atividades produtivas.

À tarde, a reunião teve um corte diferente. As experiências de dois leigos envolvidos no mundo da informação e empreendedorismo foram ouvidas. Maria Paz Lagos apresentou sua experiência em "Catholic Voices", da qual dirige a organização no Chile, uma rede criada em 2010 para fazer a voz da Igreja ser ouvida na mídia, enquanto Ricardo Callejo Rovira, de Barcelona, falou sobre a formação leiga no campo do empreendedorismo e do trabalho.

Durante o dia, os momentos de debate permitiram aos participantes intervir em tudo o que ouviram, criando um clima de partilha e uma interessante troca de opiniões.

No final do dia, Santiago Pérez de Camino, chefe do escritório do Dicastério para a promoção e formação de leigos, ilustrou o caminho que levou a esse encontro internacional, com os objetivos para o futuro próximo.