08 de Agosto de 2018
Vida

Descriminalização do aborto no Brasil: a Igreja não concorda

Denúncia do Monsenhor Sousa: notícias falsas e números inflados para orientar a opinião pública

Algumas organizações pró-aborto e alguns jornais tentaram direcionar o público brasileiro, levantando números inflados sobre o número de abortos induzidos realizados todos os anos no Brasil. É a denúncia de Dom João Bosco Barbosa Sousa, presidente da Comissão para a vida e a família da Conferência Episcopal Brasileira, contida em um artigo que se espalhou para a imprensa nestes dias de discussão sobre o projeto de lei que descriminaliza a interrupção voluntária da gravidez.

Entre os pontos contestados - números em mãos - pelo presidente da Comissão Episcopal de Vida e Família, conforme relatado em um artigo de 29 de junho, que citou um relatório do Ministério da Saúde obtido exclusivamente em que foram estimados cerca de 1 e 200 mil abortos por ano no Brasil. À luz de alguns cálculos simples, Monsenhor Sousa critica a informação divulgada pelo IPAS, uma organização que promove o aborto internacionalmente, e pelo Instituto Allan Guttmacher, que pertence à IPPF (International Planned Parenthood Federation), que inflam os dados.