06 de Fevereiro de 2018
Associações e movimentos

Os escuteiros europeus a caminho do Sínodo

O Congresso Internacional de Assistentes Espirituais da Federação Europeia do Escotismo concentra-se na dimensão eclesial e nas consequências pastorais do reconhecimento pela Santa Sé

O Pe. José Guillermo Gutiérrez Fernández, oficial do Dicastério, falou há alguns dias no Congresso Internacional de Assistentes Espirituais da Federação do Escotismo Europeu. A reunião contou com a presença de delegados de 16 países europeus e representantes da Argentina e dos Estados Unidos.

A intervenção do Pe. Gutiérrez centrou-se na dimensão eclesial e nas consequências pastorais do reconhecimento pela Santa Sé como um movimento educativo. "Isso significa que a Igreja - ela explica - depois de estudar os estatutos, verificou que eles satisfazem os critérios de eclesialidade exigidos para cada movimento que seja considerado católico, para ser reconhecido como tal. Isso implica uma responsabilidade séria, em duas direções: por parte da Igreja, assumir a responsabilidade de acompanhar o movimento; por parte do movimento, o compromisso de viver os critérios que asseguram a comunhão eclesial e a identidade católica.

Recordando que o evangelho é a "alma" da vida do escotismo, o Pe. Gutiérrez convidou para nunca negligenciar o convite explícito dirigido aos jovens para refletir desde uma idade precoce no chamado específico que Deus tem para cada um de nós. “Um chamado - ele acrescenta - o que pode ser para o casamento, para o sacerdócio, para a vida consagrada ou, em casos particulares para discernir bem, para uma vida celibatária para se dedicar a uma causa nobre. Finalmente, ele lembrou que a identidade católica é desempenhada na facilitação do encontro dos jovens com Jesus Cristo para que se tornem discípulos e missionários”.

Além disso, o oficial do Dicastério presidiu uma missa concelebrada por mais de 150 sacerdotes presentes.