21 de Junho de 2018
Dicastério

Os jovens nos moviementos eclesiais, evangelizados e evangelizadores

"Na origem de muitos movimentos eclesiais havia alguns jovens"; "Dos movimentos eclesiais" há uma "longa experiência de trabalho com os jovens"; "Os movimentos eclesiais envolvem ativamente os jovens na evangelização" e há "uma ligação muito estreita entre a experiência de fé e o caminho vocacional". Estes são alguns dos pontos que o Cardeal Prefeito Kevin Farrell sublinhou em seu discurso há alguns dias no encontro anual dos movimentos eclesiais e das novas comunidades que ocorreram no Dicastério.

Depois o secretário Pe. Alexandre Awi Mello: "Hoje, mais uma vez - disse ele, dirigindo-se aos cerca de 50 membros presentes - queremos ouvi-los. Ouvir uns aos outros enriquece a todos e nos faz perceber melhor a ação - sempre jovem, dinâmica e regeneradora - do Espírito Santo na Igreja através de movimentos eclesiais e novas comunidades".

Finalmente, a intervenção do secretário do Sínodo dos Bispos, cardeal Lorenzo Baldisseri, que se concentrou nos objetivos, expectativas e perspectivas para o encontro de outubro: "Os jovens estão pressionando pela renovação do modo de ser e agir da Igreja, uma transformação que o torna mais ágil, menos estrutural, mais dinâmico, capaz de se confrontar sem medo com outras culturas, com outras religiões e com diferentes tipos de sociedade. Uma Igreja que está com o povo, capaz de ser presente onde os jovens estão, nos lugares em que vivem, mesmo naqueles que não são "físicos", como é o mundo das mídias sociais. Uma Igreja, portanto, que saiba dialogar com a cultura globalizada e tecnológica em que nos encontramos e saiba adotar novas linguagens para anunciar hoje, de maneira crível, a Boa Nova de todos os tempos.

Uma Igreja concreta, que os ajuda a encontrar uma solução para os problemas que os afligem e os acompanha discretamente, mas efetivamente, nas escolhas decisivas para suas vidas. Uma Igreja - concluiu - que também está disposta a aprender com eles e que não tem medo de se questionar para encontrar novas maneiras de alcançar os corações dos jovens, renunciando de encher suas cabeças de palavras que não dizem mais nada e de impor proibições sem explicações convincentes”.