24 de Agosto de 2018
Encontro Mundial das Famílias

Martinez (Centro Família Nazaré), “a crise da família é espiritual, a oração como antídoto”

“A família cristã é ternura ferida, mas ostentação do sacramento da ternura divina. Enquanto estiver na terra, a família cristã estará sempre em secreta empatia com o sofrimento humano”. Isto foi dito por Salvatore Martinez, presidente da Renovação no Espírito e presidente da fundação do Vaticano “Centro Internacional da Família de Nazaré”, que falou hoje no Encontro Mundial das Famílias em Dublin. Em suas palavras também uma mensagem de esperança: “Uma família cristã que vive pelo Espírito Santo jamais perderá a coragem; todo negócio parecerá a ela possível. Não desanimemos então, e façamos da Amoris laetitia, da alegria do amor na família, do nosso Evangelho para o mundo”. Olhando para a crise da família, Martinez considera uma “crise espiritual”. “Hoje a arte de viver o amor está em crise, porque a experiência de Deus que estamos fazendo em nossas casas está em crise”, acrescentou. Nossos filhos não morrem por falta de pão ou de trabalho; eles sofrem e morrem por falta de amor". Segundo o presidente da Fundação do Vaticano “Centro Internacional da Família da Nazaré”, há duas implicações disso: “A educação cristã na família está em crise e a transmissão da fé em nossas casas está em crise”. Mas “a família vive, está viva e está destinada a dar vida ao mundo”. “Ela está viva se se regenerar espiritualmente sem se render diante do mal, aos muitos males que a afetam todos os dias”, disse Martinez. E para ter sucesso, na sua opinião, “regeneração espiritual” e, em particular, “oração familiar” são necessárias “como um antídoto”. “A presença do Espírito na família é nutrida pela oração, permitindo que Deus nos visite em nossos lares todos os dias. Não há maneira melhor e mais eficaz do que orar e orar juntos. Quando a família reza, a família é vigilante, profética, apaixonada, encarnada, em comunhão”.