08 de Novembro de 2018
Leigos

Um “novo tempo” para homens e mulheres da Igreja latino-americana

O secretário Pe. Awi Mello participou do Congresso continental de leigos e leigas no Brasil

A carta sobre a participação dos leigos na vida pública, que o Papa Francisco enviou em 19 de março de 2016 ao cardeal Francesco Marc Oellet, presidente da Pontifícia Comissão para a América Latina, provocou uma reação imediata aos leigos do continente. Com o objetivo principal de aprofundar seu conteúdo e promover um “novo tempo” para os leigos da Igreja latino-americana, a Conferência Episcopal da América Latina e Caribe (CELAM) promoveu durante dois anos vários congressos regionais em aproximação do Congresso Continental de leigos e leigos, realizada de 1 a 4 de novembro em São Paulo, Brasil.

No congresso, com a presença do padre Alexandre Awi Mello, secretário de nosso Dicastério, participaram a maioria das conferências episcopais do continente, representadas pelos coordenadores dos departamentos leigos e pelos dirigentes dos conselhos leigos nacionais, onde eles existem. Além de compartilhar as realidades de cada país e as iniciativas que têm os leigos como protagonistas, o Congresso apresentou uma análise da realidade latino-americana através da professora Moema Miranda do Brasil, acompanhada de uma leitura sobre os leigos na eclesiologia do Vaticano II – contribuição esta, pelo monsenhor Francisco Niño, vice-secretário geral do CELAM, da Colômbia – nas Conferências Gerais (Prof. Cesar Kuzma, Brasil) e no pontificado do Papa Francisco (a professora Emilce Cuda, Argentina), concluindo com propostas concretas para continuar a cultivar o espírito de diálogo, comunhão e missão nos leigos latino-americanos.

O Pe. Alexandre Awi Mello disse que a iniciativa, além de ser uma oportunidade para aprender mais sobre a organização eclesial do laicato latino-americano, enriqueceu todos os participantes com a troca de experiências, iniciativas e melhores práticas dos leigos, que querem ser uma “Igreja em saída” a serviço dos mais necessitados, especialmente na vida pública. Eu também tive – acrescentou o secretário – a oportunidade de apresentar o trabalho do Dicastério sobre a promoção e formação de leigos, colocando-o à disposição das organizações presentes".