01 de Outubro de 2018
Dicastério

Uma opção preferencial para leigos

Pe. Awi Mello: "É necessário formar os leigos para a urgência da atualidade e a necessidade de uma Igreja em saída no mundo, o lugar próprio do leigo"

A mesa redonda da última sessão de trabalho do encontro internacional "Promoção e formação de fiéis leigos: boas práticas", organizada pelo Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida de 26 a 28 de setembro, foi confiada a três diferentes associações.

O envolvimento de associações e movimentos que trabalham mais diretamente com a paróquia e para a paróquia também, foi desejado porque estas realidades também têm experiências a oferecer, boas práticas de que se pode aprender.

É importante conscientizar os leigos de que “são chamados a evangelizar antes de tudo como fieis que” vivem no mundo”: “discípulos-missionários que experimentam e testemunham sua fé dentro e através das diferentes e concretas dimensões da existência humana”. Disse Matteo Truffelli, presidente da Ação Católica Italiana e membro do Secretariado do Fórum Internacional de Ação CatólicaA formação, nessa associação, é permanente e "acompanha cada período da vida de maneira diferente" e é integral, envolvendo "todas as dimensões da vida do fiel e de sua caminhada na Igreja e no mundo".

"Revigorar a identidade missionária dos fiéis leigos e exortar os pastores a tornarem-se conscientes de sua tarefa de fazer da paróquia uma fervorosa comunidade de fé, onde os membros são agentes de evangelização" é o propósito das células paroquiais de evangelização. Paola Marangione de Milão foi convidada a apresentar esta realidade, que ilustrou as modalidades deste "sistema" presente em sua paróquia de Sant'Eustorgio, onde pequenos grupos de fiéis leigos, que experimentaram o amor de Deus, compartilham com aqueles que ainda não a conhecem, em primeiro lugar em seu ambiente de trabalho, estudo, entre amigos e familiares, no bairro.

Por fim, foi a vez de Juan Adolfo Moguel Ortiz, responsável pelos Cursilhos de Cristandade no Mundo, apresentar novamente uma realidade decorrente de uma experiência de encontro com o Senhor. O propósito do movimento, que usa o método dos "cursillos" ("cursos") para a formação cristã, é devolver aqueles que vivem esta experiência aos lugares em que vivem, para que eles mesmos possam se tornar fermento evangélico em seu ambiente.

É impossível relatar toda a riqueza gerada por ouvir e trocar opiniões, perguntas e ideias durante os debates. Para tirar a conclusão de tudo isso, foi o Secretário do Dicastério, Padre Alexandre Awi Mello, que em seu discurso convidou a compartilhar, "copiar criativamente" um do outro. Mas ainda mais, ele queria expressar a esperança da Igreja nos fiéis leigos para conhecer sua identidade, sua missão na Igreja e na sociedade. Uma consciência que "implica outra esperança: o de ser reconhecido e valorizado; algo que se expressa não apenas com palavras, mas encontrando espaços reais para a participação e realização do próprio ser cristão". Com uma provocação, o padre Awi Mello convidou os presentes a pedir às respectivas Conferências Episcopais que assumam uma verdadeira "opção preferencial pelos leigos", "não exclusiva, mas preferencial, devido à urgência da atualidade e à necessidade de uma Igreja em saída, no mundo, o lugar próprio do leigo".