31 de Janeiro de 2018
Rússia

Uma pequena Igreja, mas um grande compromisso com a educação e a vida

A visita ad limina dos bispos da Rússia ao Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida

Um enorme território com poucos sacerdotes, “novos cristãos” que exigem formação e um grande compromisso em defesa da vida. Esta é, em suma, a situação da Igreja Católica na Rússia, contada pelos bispos que chegaram há alguns dias em uma visita ad limina ao Dicastério.

A maioria dos sacerdotes presentes na Rússia (17 milhões de km / p) são estrangeiros, e grandes distâncias significam que muitas comunidades vivem sem guias pastorais. Apesar disso, e apesar das perseguições, o cristianismo sobreviveu na Rússia graças à religião simples, mas granítica, de pais e avós: estes, mesmo que sem formação, puderam transmitir aos seus filhos e netos os fundamentos da fé.

As poucas mas numerosas famílias católicas deram muitos sacerdotes e religiosos à Igreja: mesmo na ausência de edifícios religiosos, as famílias eram verdadeiras “igrejas domésticas itinerantes” onde, por sua vez, nos reuníamos para orações e celebrações litúrgicas. Hoje a situação mudou completamente.

Em torno dos temas da vida, ainda há muitas questões problemáticas relativas à maternidade e ao acolhimento da vida.