07 de Outubro de 2019
Jovens

A civilização do amor: projeto aberto e missão a realizar

O Secretário Awi Mello falou em um congresso internacional pelos 40 anos da Conferência de Puebla

“Como horizonte ideal, a construção da 'civilização do amor' continua sendo um projeto aberto e uma missão a ser cumprida. Muito já foi feito, na América Latina, nesse sentido, e a prova disso é que, durante o recente processo sinodal, foi observada uma forte identidade e articulação interna entre jovens e bispos latino-americanos”. Estas são as palavras que Pe. Alexandre Awi Mello, secretário do nosso Dicastério, fez em seu discurso no congresso internacional realizado em Roma na cúria geral jesuíta sobre o tema “40 anos da Conferência de Puebla”.

O “longo caminho de comunhão e participação” iniciado pela III Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, realizada em Puebla (México) em 1979, continuou, “foi encontrado nos discursos e propostas de bispos e jovens no Sínodo”. O secretário disse que tinha certeza de que “a evangelização dos jovens na América Latina não ficará indiferente ao processo sinodal rico e participativo sobre o tema 'juventude, fé e discernimento vocacional', no qual pela primeira vez a Igreja universal articulou uma reflexão comum significativa sobre os jovens e da qual se originou a exortação apostólica pós-sinodal Christus Vivit do Papa Francisco”.

“O trabalho pastoral com jovens - concluiu ele - continuará sendo uma tarefa fundamental e inevitável para a Igreja da América Latina, e é claro que esse serviço pastoral nunca pode perder o horizonte do Reino de Deus, da civilização do amor sonhada por Paulo VI, de Puebla e do ministério da juventude da América Latina nos últimos quarenta anos”.