24 de Março de 2019
Igreja e esporte

Não é um "esporte cristão", mas "uma visão cristã do esporte"

Nos dias 15 e 16 de março, o Centro Esportivo Italiano celebrou sua Convenção Nacional em Roma, intitulada “Igreja ou Esporte?”, Por ocasião do 75º aniversário de sua criação

Como parte das iniciativas ligadas ao 75º aniversário, realizou-se em Roma, nos dias 15 e 16 de março, a Conferência Nacional do Centro Italiano de Esportes, com a presença de presidentes regionais e provinciais e seus respectivos assistentes eclesiásticos.

Santiago Perez de Camino, responsável do escritório Igreja e Esporte do Dicastério, participou da mesa-redonda no sábado, 16, junto a líderes esportivos de várias associações e do CEI, reiterando a importância dos leigos na evangelização e pelo consistente testemunho da vida cristã dentro e fora da comunidade esportiva.

Em resposta às palavras do padre Alessio Albertini, assistente eclesiástico do CSI - “A provocação no título ‘Igreja ou Esporte?’, pretendia-se refletir sobre o nosso modo de entender o esporte”, disse Santiago Pérez de Camino, que “entre o esporte e a Igreja existe um vínculo muito forte, graças a percursos paralelos. Se o esporte coloca o homem no centro do jogo, ele joga o mesmo jogo da Igreja. Como o Papa Francisco disse em muitas ocasiões, o esporte praticado da maneira correta leva à beleza e, portanto, leva a Deus. Um esporte sem a Igreja perderia uma referência ética única, enquanto a Igreja sem esporte perderia esse impulso e a ajuda que faz chegar onde sozinha muitas vezes não conseguiria. O esporte de fato ajuda a Igreja a encontrar as pessoas”.

Perguntado sobre a relação entre a paróquia e o oratório, Santiago Perez perguntou: “Por que deve haver necessariamente uma separação entre treinadores e catequistas? Por que não treinadores e catequistas? A corresponsabilidade dos leigos na Igreja hoje é fundamental como o Papa nos lembra: no esporte, os cristãos leigos podem fazer o bem para a comunidade. O padre não deve ser treinador e vice-versa, mas o esporte e a paróquia têm a mesma missão de levar Deus ao povo. É por isso que não existe um esporte cristão, mas uma visão cristã do esporte. Os clubes esportivos devem ter um cuidado especial na formação, antes de confiar os jovens a alguém que não demonstre coerência de vida. Hoje, com tantas famílias desagregadas, o treinador pode fazer muito. O Papa Francisco disse uma vez a um jovem universitário: a última coisa que alguém precisa fazer para aproximar alguém de Deus é conversar; primeiro precisamos testemunhar como as pessoas são tratadas”.

"Chiesa o sport?"