17 de Dezembro de 2019
Família

Promover uma pedagogia da paz

Subsecretária Gambino na apresentação da Mensagem para a 53º Jornada Mundial da Paz

"Colocar a família novamente  no centro das nossas atenções, pois é o coração do desenvolvimento e promoção de uma pedagogia da paz".  Estas são as palavras da subsecretária Gabriella Gambino, que falou há alguns dias na assessoria de imprensa da Santa Sé na conferência de imprensa que apresenta a Mensagem para o 53º Dia Mundial da Paz.

A família, continuou, deve ser pensada como "um fio vermelho que percorre todos os problemas relacionados à falta de paz: se fortalecermos a família, fortalecerem sua estabilidade e a capacidade de confiança e confiabilidade que ela é capaz de transmitir aos seus próprios filhos, podemos torná-lo um local de geração de esperança. Porque é nele que, em determinadas condições, os pequenos podem aprender a dialogar, respeitar, buscar o bem e o perdão. Somente dentro da família uma ética de fraternidade e convivência pacífica pode emergir entre pessoas e povos. Portanto - explicou - acima de tudo, como cristãos, somos chamados. a sustentar a família estável, fundada na aliança conjugal, na paz e na confiança mútua".

Recordando a esperança do Santo Padre na Mensagem, para que "toda pessoa que vem ao mundo possa desenvolver a promessa de amor, de vida e de paz que carrega consigo", Gambino sublinhou que é "uma mensagem muito forte, uma mensagem vocacional.Ele está nos pedindo para criar as condições para que o raio da paternidade de Deus possa ser apresentado aos olhos de cada filho que vem ao mundo como uma jornada de amor, uma vocação, o destino de uma vida. Que as famílias devem poder mostrar aos filhos. Nós, como cristãos, acreditamos no amor de Deus: essa certeza é a mensagem de esperança e paz a ser transmitida a nossos filhos. Como Igreja e como família, podemos, portanto, trabalhar juntos para criar as condições para que cada um de nossos filhos caminhe "entre as coisas bonitas" que o Pai pensou por ele. Somente assim - ele concluiu - seremos capazes de gerar uma autêntica cultura de encontro e um desejo de paz no coração de todo homem”.