07 de Agosto de 2019
Leigos

Transformados e transformadores na paróquia e na sociedade

A subsecretária Ghisoni no Encontro da Acción Católica General na Espanha

Como ser leigos que transformam o mundo e a sociedade em que vivemos? A partir desta questão, foi desvendada a intervenção da subsecretária Linda Ghisoni no encerramento do encontro de paroquianos leigos organizados em Ávila pela Acción Católica General sobre o tema “Realizar o sonho de Deus”.

“Não podemos pensar em sermos transformadores leigos das realidades em que vivemos e trabalhamos se não somos os primeiros a ser transformados - explicou a subsecretária, abordando os cerca de 750 leigos presentes nas 45 dioceses da Espanha, acompanhados por dez bispos e cerca de cinquenta padres durante o encontro  -. E nós somos transformados - continuou - nós realmente somos, mas precisamos estar cientes de que sermos fiéis significa viver como batizados: carregamos dentro de nós o dom de sermos renascidos e enviados para trazer não belas idéias ou projetos, mas para testemunhar o evangelho com nossas vidas”.

Assim, como "fieis leigos cientes do batismo, dos direitos e deveres que se seguem, conscientes de ser chamados, somos, por vocação, os "enviados" que, para viver de maneira saudável e consciente o protagonismo que vem do batismo" , retornam à "fonte", através da oração e partilha com os outros, cultivando a formação.

“Como leigos - prosseguiu - não podemos nos desencarnar com a realidade em que vivemos, senão trairíamos nossa vocação": daí o apelo para que cada um "se pergunte como pode viver seu ser fermentado" não apenas "com consciência renovada nos ambientes de igreja, mas nos lugares e momentos comuns da vida cotidiana, nos contextos da vida pública”.

“Se somos transformados, somos capazes de estabelecer novas relações com os outros, baseados no perdão, na escuta, na paciência, no diálogo e na aceitação. A nossa - concluiu a subsecretária - é uma missão eclesial, a ser vivida em responsabilidade compartilhada, em comunhão com os outros irmãos e irmãs, com os párocos, com os bispos”.