05 de Outubro de 2020
Proteção dos menores

Educar e acolher em ambientes seguros

Associações em rede para um projeto de formação de líderes com o objetivo de prevenir e combater abusos
protezioneminori_2ottobre.jpg

Cada vez mais do lado dos mais pequenos. É com este objetivo que foi lançado o projeto SAFE, promovido em conjunto pela Associazione Comunità Papa Giovanni XXIII, da Azione Cattolica Italiana e do Centro Sportivo Italiano, com parceiro de Departamento de Sociologia da Alma Mater Studiorum - Universidade de Bolonha. Na última sexta-feira, 2 de outubro, no canal do YouTube da Comunità Papa Giovanni XXIII e ao vivo no Facebook nas páginas das três associações, o projeto foi inaugurado por um webnário “Educar e acolher em ambientes seguros. Por uma Igreja e uma sociedade ao lado dos mais pequenos”. Linda Ghisoni, Subsecretária do Dicastério para os Leigos, Família e Vida, participou do evento online respondendo, juntamente com o padre jesuíta Hans Zollner, às perguntas de Emanuela Vinai, coordenadora do Serviço Nacional de Proteção à Criança da Igreja Italiana, que moderou o webinário.

Referindo-se ao encontro sobre a proteção dos menores na Igreja realizado no Vaticano em fevereiro de 2019, Linda Ghisoni reiterou a necessidade de enfrentar o flagelo do abuso sexual com a parrhesia solicitada pelo Santo Padre: «É fundamental - disse o Subsecretário respondendo a uma pergunta - sairmos dos becos sem saída e infrutíferos da negação, da curiosidade mórbida, bem como da evitação, para enfrentarmos honestamente, de acordo com a verdade, a realidade do abuso sexual, da consciência , de poder, colocando a pessoa no centro, principalmente os menores, frágeis, fracos e vulneráveis». E ele especificou: «Porém, é preciso falar de forma competente, qualificada, para sensibilizar, informar, educar e, desta forma, prevenir».

A este respeito, Hans Zollner lembrou que a emergência sanitária da Covid-19 ainda em curso em nada conteve os abusos de menores que, pelo contrário, como mostram as notícias, têm sofrido um aumento, conforme sempre novas formas de atuação em rede: trata-se de uma emergência que requer atenção adequada e qualificada aos novos desafios.

Referindo-se também à iniciativa do projeto Safe, Linda Ghisoni sublinhou que “uma vez que o macabro jogo do silêncio ritualmente implementado pelos abusadores é acompanhado pelo isolamento da vítima, falar sobre estas questões cria uma espécie de rede de segurança, um contexto vigilante , crítico, comunicativo, adequado para prevenção. Com o Projeto Safe, vós promotores de realidades testemunhas de uma aliança, sinergia, compromisso e atuação conjunta que por si só constituem uma força, pois compartilham competências diversificadas e complementares e torna mais capilar e difundido o trabalho de formação que realiza” .

O projeto Safe, financiado pela União Europeia, visa apoiar a integração das políticas de proteção da criança nas organizações religiosas italianas e, assim, garantir a possibilidade de uma formação sólida e eficaz dos animadores das associações, para prevenir e denunciar abusos. em realidades que mantêm contato regular com menores. As três associações lançaram, assim, um programa de dois anos no território italiano com cursos de formação ad hoc para membros e dirigentes.

Para saber mais:   https://progettosafe.eu/