06 de Agosto de 2018
Dublim

A família esperança para a Igreja e para o mundo

É o título da contribuição do Cardeal Farrell ao volumoso Dossiê da Vida Pastoral preparado em vista do Encontro Mundial das Famílias

Se “a família é uma fábrica de esperança, a coisa mais linda que Deus fez”, como expressou o Papa Francisco na Filadélfia, então é no sinal da beleza e da alegria do amor (Amoris Laetitia) que “a Igreja deseja anunciar ao mundo através da família: a possibilidade real de cada homem de se ver manifestando nesse amor para acreditar e crescer na certeza de que alguém o amou e continua a amá-lo todos os dias de sua vida”. 

O cardeal Farrell indica a especificidade da fé cristã em relação à realidade matrimonial e familiar: “A família não é uma instituição católica, mas uma dimensão antropológica que pertence a todas as sociedades e religiões. O que a fé cristã acrescenta à realidade da família é a consciência de sua missão específica no mundo, graças à presença de Cristo no sacramento nupcial”. Da família, bens capazes de gerar relações virtuosas na sociedade, a partir da estabilidade e no mundo do trabalho. Se “o capital familiar está na base das virtudes sociais, então a família é o primeiro fator de humanização das pessoas e da vida social.”