22 de Fevereiro de 2018
Papa Francisco

A Jornada Mundial da Juventude, um desafio para os corajosos

O convite para não ter medo, a importância do nome, a graça de Deus e a coragem no presente: estes são os quatro pontos cardeais da Mensagem do Papa Francisco para a JMJ 2018

« Maria, não temas, pois achaste graça diante de Deus» (Lc 1,30) É o tema da Mensagem do Papa Francisco aos jovens em preparação para o XXXIII Jornada Mundial da Juventude 2018, celebrado a nível diocesano no Domingo de Ramos.

Se trata da segunda Mensagem (divulgada hoje) que o Papa Francisco aborda aos jovens a caminho da preparação para a JMJ no Panamá, que ocorrerá de 22 a 27 de janeiro de 2019 e atualmente tem entre seus inscritos cerca de 1220 membros, para um total de 51059 peregrinos, provenientes de cerca de 70 países.

"Escolhemos – escreve o Papa -  o exemplo e a intercessão de Maria, a jovem de Nazaré, que Deus escolheu como Mãe do seu Filho. Ela caminha conosco rumo ao Sínodo e à JMJ do Panamá". Sobre o convite “Não temas” está articulado no primeiro momento de reflexão: “São as palavras que o mensageiro de Deus, o arcanjo Gabriel, dirigiu a Maria, jovem simples duma pequena povoação da Galileia. […]E vós, jovens, quais são os medos que tendes?”

Nos momentos em que se "aglomeram no nosso coração dúvidas e medos", Francisco sublinha como “torna-se necessário o discernimento. Este permite-nos pôr ordem na confusão dos nossos pensamentos e sentimentos, para agir de maneira justa e prudente”.

Outro momento de reflexão, o encarnado pela invocação “Maria!”: “O primeiro motivo para não temer é precisamente o facto de Deus nos chamar pelo nome”, escreve o il Papa. “Queridos jovens, ser chamados pelo nome é um sinal da nossa grande dignidade aos olhos de Deus, da sua predileção por nós. E Deus chama cada um de vós pelo nome”.

Em seguida, uma passagem relacionada a graça: “Achaste graça diante de Deus”. “O motivo principal pelo qual Maria não deve temer – explica Francisco – é porque achou graça diante de Deus. A palavra «graça» fala-nos de amor gratuito, não devido”, e “Da certeza de que a graça de Deus está conosco, provém a força para ter coragem no presente”, último foco do discurso do Papa. Se trata, acrescenta, da “coragem para levar por diante aquilo que Deus nos pede aqui e agora, em cada âmbito da nossa vida; coragem para abraçar a vocação que Deus nos mostra; coragem para viver a nossa fé sem a esconder nem atenuar”.

À medida que ele se aproxima do Panamá, do Papa vem uma provocação para os jovens: “A JMJ é para os corajosos! Não para jovens que procuram apenas a comodidade, recuando à vista das dificuldades. Aceitais o desafio?”