02 de Outubro de 2018
Rumo ao Sínodo dos Jovens

Ainda estamos livres com smartphones na mão?

Milhares de estudantes de colégios católicos romenos envolvidos em um programa formativo nacional

“Os smartphones e tablets parecem sempre existir, mas têm pouco mais de uma década. Além disso, eles não são, como somos levados a acreditar, caixas vazias, mas frascos cheios e, para preenchê-los, pensamos em um monte de empresas globais que trabalham com a lógica do lucro e não a educacional. Por esta razão, no tempo das opções aparentemente infinitas, os muito jovens têm a ilusão de escolher (música, videogames, chat, etc.), mas muitas vezes há aqueles que já escolheram para eles e raramente escolheram para o seu próprio bem”. Disse Marco Brusati, colaborador de nosso dicastério, diretor de Hope e curador da iniciativa World Youth Hope com o Ministério da Pastoral Juvenil da Diocese Greco-Católica de Oradea, dirigida pelo Pe. Paul Popa e envolvendo milhares de estudantes da Escolas secundárias católicas na Roménia.

Cada reunião inclui um relatório introdutório com inúmeras provocações sobre como as ferramentas de mídia que podem se tornar sujeitos e não objetos; Posteriormente, haverá trabalho em grupo liderado pelos professores das escolas secundárias especialmente formados em uma reunião realizada em Brasov em 5 de setembro, graças à qual serão elaboradas duas saídas: uma mensagem coletiva para uma grande da terra e um projeto de vida pessoal, que então serão tratados também no decorrer do ano letivo, especialmente durante as horas de religião.

As reuniões serão realizadas em outubro e precisamente: o dia 5 em Cluj Napoca, o dia 12 em Blaj, o dia 19 e o dia 20 em Bucareste, o dia 26 em Oradea.

Um apoio ativo à iniciativa é oferecido por Dom Virgil Bercea, bispo da Diocese Católica Grega de Oradea e responsável da Comissão de Juventude da Conferência Episcopal Romena. “Existe um desafio educacional de importância primordial – diz o bispo – porque o que vem através do sistema de mídia entra na vida real de nossos meninos e meninas. Por essa razão, estou convencido de que a iniciativa World Youth Hope pode oferecer uma resposta cristã às questões concretas da juventude relacionadas com o mundo da mídia e que também surgiram no trabalho preparatório do Sínodo”.