24 de Maio de 2019
Congresso internacional

Onde quer que seja possível dizer Yes to Life!

O segundo dia de Yes to Life!, com Amy Kuebelbeck, que moderou os trabalhos, foi dedicado à internacionalidade. Testemunhos e intervenções seguidos da Ucrânia, Estados Unidos, França e Espanha. O primeiro momento comovente foi a lembrança de Chiara Corbello Petrillo feita por seu pai espiritual, Vito D’Amato.

As outras intervenções apresentaram experiências perinatais de cuidados paliativos em diferentes contextos. Irmã Giustina Holubets contou sobre a experiência da associação "Imprint of Life", ativa na Ucrânia e que nos últimos anos ajudou mais de 40 famílias. "Para os pais - disse a Irmã Giustina - esta pequena e curta vida, como um meteoro , mostrou a riqueza da vida e revelou uma grande força que os sustentava ”.

Byron Calhon e John Lantos, ambos americanos, explicaram como, nos últimos 50 anos, o conceito de hospício perinatal se desenvolveu e como o feto passou a ser considerado um paciente real a ser cuidado de maneira multidimensional. Em particular, vários oradores, incluindo Carlo Bellieni, abordou a questão da dor fetal e da necessidade de fornecer analgesia adequada para evitá-lo tanto quanto possível.