05 de Outubro de 2020
Esporte

Da pandemia ao reinício

O primeiro de quatro webinars sobre o futuro do esporte na era da Covid19
Webinarsport_ripartenza_webnews.jpg

“A situação atual corre o risco de afastar as pessoas do esporte, especialmente os jovens, sobretudo os que vivem nos países mais desfavorecidos e mais afetados pela crise econômica”. Ainda assim, “o valor educacional do esporte não pode ser negligenciado se quisermos criar um mundo melhor para todos. Dar aos jovens a oportunidade de praticar esportes regularmente significa oferecer um caminho extraordinário para aprofundar sua formação e crescimento pessoal. [...] A Igreja está preocupada com tudo isso porque, como mãe, se preocupa com o bem integral da pessoa humana e com uma convivência social harmoniosa ”.

Assim o prefeito Kevin Farrell abriu, no dia 1º de outubro, a primeira sessão da série de quatro webinars sobre esporte promovidos pelo nosso Dicastério para incentivar o correto “reinício” do esporte na sociedade.

O desejo - explicou o prefeito - é “promover uma reflexão 'transversal' sobre o desporto, que possa aproximar crentes e não crentes, partilhando experiências e pontos de vista diferentes, de profissionais e amadores, de dirigentes e atletas, de jovens e adultos, de países mais avançados e dos mais desfavorecidos”.

Gian Paolo Montali, gerente geral da Ryder Cup 2023, falou de "uma oportunidade de repensar o esporte de forma diferente, especialmente na concepção de cenários alternativos e procedimentos de prevenção nunca adotados antes. Devemos estar prontos para experimentar, com novos métodos de trabalho em equipe e perfis profissionais igualmente inéditos”.

Outro aspecto sublinhado por Montali, é como a pandemia “obrigou as nossas comunidades a deixarem de praticar desporto, também pela dificuldade em identificar estruturas adequadas tanto para a prática desportiva individual como coletiva. A longa inatividade, porém, provoca danos físicos e motores tanto nas crianças como nos adultos e nos idosos: mais cedo ou mais tarde - sublinhou - isso terá um impacto a nível da saúde, também a nível dos orçamentos públicos. Sem falar - acrescentou - dos aspectos sociais e relacionais: o desporto implica o respeito pelas regras e papéis e a integração da diversidade: o aspecto educativo do desporto deve ser salvaguardado”.

Mark Nesti, psicólogo do esporte, falou sobre o impacto da pandemia e como lembrou aos atletas “que eles fazem parte do mundo”: “Às vezes pode parecer que o esporte vive em sua bolha, principalmente nos níveis mais altos. E é perfeitamente compreensível, porque há tanta coisa em jogo, tanta paixão, tanto em jogo ... Mesmo assim, o esporte parou. Então isso - concluiu Nesti - é uma oportunidade de desenvolver novas formas de ver o esporte não só como algo físico, técnico, tático e psicológico, mas também como um veículo de desenvolvimento espiritual ”.

O próximo encontro, também disponível via streaming no canal YouTube do Dicastério, é na quinta-feira, 8 de outubro, com o tema “Dar o melhor de si: o esporte como modelo de vida”. Palestrantes Patrick Kelly SJ, Professor de Teologia e Estudos Religiosos da Universidade de Detroit Mercy, Dyan Castillejo-Garcia, ex-tenista e jornalista esportivo, e Wolfgang Baumann, secretário-geral da TAFISA e membro do COI (Comitê Olímpico Internacional).

Para inscrição, clique aqui