10 de Fevereiro de 2020
Leigos

Homilia do Padre Awi Mello sobre São Vicente Pallotti: "Em sua teologia do apostolado, a corresponsabilidade de todos"

A visão profética de São Vicente Pallotti sobre o papel dos leigos na realização de seu programa de reavivamento da fé estava no centro da homilia proferida pelo secretário do nosso Dicastério, padre Alexandre Awi Mello, na igreja romana da SS. Salvatore em Onda, por ocasião do tríduo em preparação para a festa de São Vicente Pallotti.

“Preocupados com o enfraquecimento e a insipidez da fé em todos os estratos da Igreja”, Pallotti escreveu estas palavras na época “que pode descrever perfeitamente a situação dos nossos dias”. De fato, ele explicou, “A missão da União, fundada por São Vicente Pallotti em 1835 e recentemente aprovada definitivamente pelo nosso dicastério (ainda como Conselho Pontifício para os Leigos) como uma 'associação pública internacional de fiéis', consiste em promover a corresponsabilidade de todos os batizados a reavivar a fé, reavivar a caridade na Igreja e no mundo e trazer todos à unidade em Cristo” (Estatuto geral, Roma 2008, art. 1).

O secretário se demorou novamente no batismo: “Tornamo-nos sacerdotes, profetas e reis, leigos (porque somos leigos antes da diferenciação de vocações específicas), discípulos e missionários de Cristo pela força do batismo”. Ele destacou que, além do batismo, “Pallotti acreditava que o apostolado leigo era fundamental com a motivação do universal chamado a amar o próximo”.

Padre Awi então destacou outro “contribuição típica” do carisma de Vicente Pallotti, “a colaboração entre os diferentes estados da vida no apostolado universal da Igreja, ou seja, o dom profético de articular pessoas consagradas e de fiéis num único carisma eclesiástico”. De fato, Pallotti propõe à Igreja "uma teologia do apostolado, concluiu, “onde os fiéis leigos são vistos não como 'auxiliares da hierarquia', mas como co-responsáveis em reviver a fé e reacender a caridade na Igreja e no mundo, e em trazer todos à unidade em Cristo”.