29 de Dezembro de 2020
Família

Uma pastoral próxima dos pais e dos jovens

A intervenção da Subsecretária Gambino sobre "Vida Pastoral" comentando o XV Relatório Cisf
patricia-prudente-6UyWK8mDcWo-unsplash.jpg

“A Igreja pode repensar a pastoral da família com coragem e criatividade capaz de fazê-la corresponder às necessidades da realidade. A questão é repensar os pressupostos que podem fazer da família, solidamente fundada no casamento, não o resultado aleatório e incerto da escolha de solteiros que ousadamente embarcam na aventura familiar, enfrentando sozinhos os desafios devastadores de uma sociedade que os desanima em todos os sentidos para acreditar no próprio projeto familiar, mas fruto de um 'sim' à vocação, a um chamado pessoal e de casal à felicidade”.

Com estas palavras, a subsecretária do nosso Dicastério, Gabriella Gambino, sublinhou, numa intervenção no número de dezembro da revista "Vita Pastorale", a necessidade de atuar eficazmente na pastoral da família em dois âmbitos específicos: a preparação ao matrimônio e acompanhamento dos pais na educação dos filhos.

A subsecretária, comentando o último relatório do Cisf sobre "A família na sociedade pós-família", destacou a importância de educar os jovens desde a infância à fé e a sentir a presença de Cristo, ajudando-os a reconhecer a beleza da vocação nupcial justamente por conduzi-los com amor ao casamento e a plena alegria de ter filhos. «Casar é uma vocação - assegura Gambino - que implica a consciência da relação profunda entre a fé e o sacramento do matrimônio, precisamente porque, como diz o Papa Francisco em Amoris Laetitia, 'hoje, mais importante do que a pastoral dos fracassados, é a a pastoral para consolidar os casamentos e assim prevenir separações (AL 307)'”.