30 de Janeiro de 2017

Uma paróquia na periferia para o cardeal Farrell

DSC_0709.jpg

A paróquia que o papa Francisco atribuiu ao cardeal Farrell está situada na periferia, é a última da diocese de Roma, a poucos metros seguintes, a igreja São Juliano Mártir dá lugar à de Porto e Santa Rufina. Seu território, que termina ao lado da Rua Cassia, é marcada por uma presença significativa de imigrantes que frequentemente vivem em construções ilegais e que se alternam também a áreas ricas.

Esta é a comunidade que ontem acolheu o cardeal Farrell em sua tomada de posse da diaconia de São Juliano Mártir, por ocasião de sua memória litúrgica. Em uma atmosfera festiva e solene, acompanhadas por músicas compostas para a ocasião, muitos acolheram ao novo cardeal titular. “Esta é a minha paróquia!”, Exclamou Farrell para significar sua ligação com a comunidade de São Juliano. E, depois de ter recordado que o Dicastério para os leigos, a família e a vida é a que cuida dos jovens e das jornadas mundiais da juventude, ele acrescentou: “E São Juliano era apenas um leigo e um jovem! Um jovem nativo da Dalmácia, que veio para a Itália impulsionado pelo único desejo de anunciar o Evangelho e dar testemunho de Cristo com a sua vida, chegando até o martírio, por manter-se fiel ao seu batismo. Sua figura encoraja-me a pensar que ainda hoje existem muitos leigos e muitos jovens, entusiasmados com a sua fé, pronto para enfrentarem tantos sacrifícios para ser coerentes com a sua fé, e levá-la aos outros”.

A festa continuou após a celebração da Eucaristia, com um encontro com as inúmeras famílias dos paroquianos.

 

Take of possession of the diaconate of San Giuliano Martyr by card. Kevin Farrell